DEPRESSÃO E TRANSTORNO AFETIVO

Quando se pensa em transtornos psíquicos logo se pensa no louco clássico, que queima dinheiro ou que pensa que é Napoleão, ou Deus.
Uma das área da psique que tem sido mais atingida e causado problemas é a área dos afetos.
Para quem não sabe a afetividade se divide em 3 sub áreas a saber: Humor, sentimentos e emoções.
Como em tudo que falamos se fala em transtorno ou doença quando estas áreas se encontram desequilibradas, exageradas ou escassas.

Destas 3 a que tem mostrado um aumento na incidência é a área do humor. Se você não sabe o humor também é conhecido como estado de espírito. Se mostra através de nossos estados de ânimo. 
Quando o nosso humor está em alta sentimos dispostos, animados, otimistas, acreditando na vida e em nós mesmos. Sentimo-nos fortes e capazes, a necessidade de dormir diminui, rimos com facilidade, ficamos bem humorados.
Quando esta alta começa a ficar exagerada o humor começa a ficar irritadiço, a impaciência começa a tomar conta de nós, nossa capacidade de relaxar desaparece e não aceitamos nenhum tipo de limite, estando dispostos para a briga e chegando as vias de fato com facilidade.
Como consequência os pensamentos eufóricos e ideias de grandeza tomam conta da nossa mente, gastamos o dinheiro com facilidade, sempre supondo que depois daremos um jeito em qualquer dificuldade que acontecer.
Quando o humor está em baixa, sentimo-nos cansados e desanimados, uma sensação difusa de fraqueza toma conta de nosso espírito. Pensamentos angustiantes e pessimistas dominam a nossa mente. O movimento para enfrentar os problemas de vida diminui e a nossa autoconfiança cai.
Quando esta baixa fica exagerada os pensamentos negativos nos dominam, uma sensação permanente de derrota e de não acreditar na vida se acentua. Ideias de ruína, de fracasso começam a nos atormentar, possibilidades de doença e até delírios hipocondríacos.

Estas variações em nosso estado de humor fazem parte da fisiologia normal de nosso cérebro e de nosso comportamento. Quando ficam exageradas e acontecem com uma certa frequência são consideradas e tem nome: “Transtorno Afetivo Bipolar”.
Quando os exageros acontecem para o lado da euforia, da excitação o transtorno é chamado de mania (que nada tem a ver com as manias do TOC), que podem ser classificadas como leve, moderada e grave.

A pessoa portadora de Mania tem o exagero apenas nos estados de excitação, são pessoas hiper ativas e a sua incidência é relativamente rara.
Como os estados de humor são cíclicos o Transtorno Afetivo Bipolar que apresenta sintomas nos 2 extremos do humor é mais comum. Neste tipo de transtorno a pessoa tem episódios de mania e de depressão que podem se intercalar, ou mostrar o predomínio para uma das 2 polaridades.
E na outra ponta temos os estados depressivos onde o que predomina é a baixa do humor.

Acredita-se que por volta de 15% da população tenha estados de animo depressivos importantes e dignos de tratamento.
Leia mais sobre Depressão e faça o Teste de Hamilton para Depressão (lembre-se que o teste é apenas indicativo e não diagnóstico).

Quando a pessoa não tem estados de animo exagerados porém crônicos e repetitivos, estes transtornos são classificados como distimias. Um dos estados mais comuns são os estados de mal humor que quando crônicos e persistentes devem ser tratados como se fossem estados depressivos.