O QUE É O TRANSTORNO HIPOCONDRÍACO?

O transtorno hipocondríaco também é conhecido como a neurose de doenças. O que acontece neste transtorno é que a pessoa tem uma sensibilidade corporal exacerbada pelo fato de ser muito centrada em seu próprio corpo. No fundo, o hipocondríaco, como em todas os outros transtornos, tem uma ansiedade e uma dificuldade muito grande de entrar em contato com pessoas e situações que ele não se sente controlando, e com isto vai cada vez mais centrando a sua atenção e percepção no próprio funcionamento corporal. Assim, qualquer alteração fisiológica, como mudança do batimento cardíaco, ruídos do funcionamento digestivo e outros, é rapidamente notada, e por ele ser controlador e pessimista, interpreta como risco eminente de algo fora de controle e que pode levá-lo á morte ou a consequências muito graves e irreversíveis. Daí o fato de ele tomar medicações o tempo todo, ou pelo menos querer tomar, pois se acha e se sente doente, apavorado com o risco de ser uma doença grave e querendo fazer tudo para eliminar este sintoma que desencadeia toda esta gama de sentimentos. 
A cabeça do hipocondríaco é uma caixa de horrores; ele é capaz de pensar em todas as doenças graves e terminais por que está sentindo como, por exemplo, uma dor de cabeça.

É mais ou menos assim que ele pensa: “De onde surgiu esta dor de cabeça? Será que é um tumor? Acho que eu preciso fazer um exame, mas eu já fiz na semana passada; então, pode ser um derrame que está acontecendo?”. Então, ele vai ao clinico, que descarta este diagnóstico por meio de de exames, e imediatamente surge a possibilidade de uma outra doença: “Ah, então deve ser meningite!”. E, novamente, enquanto ele não descarta esta possibilidade, a cabeça fica o tempo todo pensando em coisas ruins.

A razão desta neurose é que, embora ela seja uma caixa de horrores, a atenção da pessoa se desvia da realidade, ele não percebe, não vê, não se importa com os problemas da vida real, e fica o tempo todo centrado em seus sintomas e em seus pensamentos funestos. Assim, fica no seu mundo, que, por pior que seja, já é conhecido, e não sente necessidade de evoluir e de crescer na vida. Tal qual o Transtorno Obsessivo Compulsivo, está diretamente ligado a quadros de ansiedade e principalmente de depressão. São pessoas profundamente pessimistas, lotadas de sentimento de culpa que podem ser conscientes ou inconscientes, e que por isso acha que merecem um castigo, que seria a doença tão temida. Veem tudo sob uma perspectiva sombria, e acabam se viciando na egoísta e permanente atitude de só olharem para o próprio umbigo.

O tratamento desta neurose tem que ser feito através de psicoterapia profunda para que a pessoa consiga enxergar sentimentos e conflitos que são os verdadeiros desencadeantes de seus sintomas e cismas. Se o pessimismo for profundo e arraigado, o uso de medicações antidepressivas são essenciais para uma rápida melhoria do quadro. O quadro pode acontecer isoladamente ou acompanhando quadros de depressão, nos quais chega a ocorrer o delírio hipocondríaco, ou do Transtorno Obsessivo Compulsivo, associação muito comum. Bom, mas chega de falar dessa neurose, antes que este calo no meu dedo vire um câncer, ou esta canseira na minha vista se transforme em cegueira, além do que, preciso tomar minhas 27 pílulas pra não ficar doente.